A entrega dos prêmios da 10a. Edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro foi realizada ontem no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro. E o filme Tropa de Elite 2, de José Padilha, foi o grande vencedor da noite. O longa recebeu nove troféus, incluindo melhor diretor, para José Padilha, melhor ator, para Wagner Moura, melhor longa-metragem de ficção e melhor longa metragem pelo voto popular.

Nas primeiras vezes em que subiu ao palco do evento para receber os prêmios, Padilha destacou o crescimento do mercado do cinema brasileiro e elogiou o trabalho de Moura no projeto que se tornou a maior bilheteria do cinema nacional. Para o diretor, Wagner não trabalha pensando apenas em seu personagem; ele atua no filme como um todo. Na quinta vez que seu longa foi anunciado como vencedor, o cineasta brincou: “Não tenho mais nada para falar”.

O projeto concorreu em 16 categorias, assim como “Chico Xavier”. A produção dirigida por Daniel Filho levou a melhor em apenas três categorias. “Quincas Berro D’Água” e o documentário “O Homem que Engarrafava Nuvens” ganharam dois troféus cada um. Já o prêmio de Melhor Atriz ficou para Glória Pires por seu trabalho em “Lula, O Filho do Brasil”.

O documentário “Dzi Croquettes” também se destacou na premiação, principalmente por ter sido um dos escolhidos pelo júri popular.

Melhor curta-metragem de animação: “Tempestade”, de Cesar Cabral

Melhor curta-metragem documentário: “Geral”, de Anna Azevedo

Melhor curta-metragem de ficção: “Recife frio”, de Kleber Mendonça Filho

Melhor longa-metragem estrangeiro: “O segredo dos teus olhos” (Argentina / Espanha), de Juan José Campanella

Melhor efeito visual: Darren Bell, Geoff D. E. Scott e Renato Tilhe, por “Nosso lar”

Melhor longa-metragem infantil: “Eu e meu guarda-chuva”, Toni Vanzolini

Melhor figurino: Kika Lopes, por “Quincas berro d’água”

Melhor direção de arte: Adrian Cooper, por “Quincas berro d’água”

Melhor som: Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e Leandro Lima, por “Tropa de elite 2?

Melhor trilha sonora: Guto Graça Mello, por “O homem que engarrafava nuvens”

Melhor trilha sonora original: Jaques Morelenbaum, por “Olhos azuis”

Melhor montagem ficção: Daniel Rezende, “Tropa de elite 2?

Melhor montagem documentário: Raphael Alvarez, por “Dzi croquetes”

Melhor fotografia: Lula Carvalho, por “Tropa de elite 2?

Melhor longa-metragem documentário: “O homem que engarrafava nuvens”, de Lírio Ferreira

Melhor atriz coadjuvante: Cassia Kiss, por “Chico Xavier”

Melhor ator coadjuvante: André Mattos, por “Tropa de elite 2?, e Caio Blat, por “As melhores coisas do mundo”

Melhor roteiro original: Braulio Mantovani e José Padilha, por “Tropa de elite 2?

Melhor roteiro adaptado: Marcos Bernstein, por “Chico Xavier”

Melhor atriz: Glória Pires, por “Lula, o filho do Brasil”

Melhor ator: Wagner Moura, por “Tropa de elite 2?

Melhor direção: José Padilha, por “Tropa de elite 2?

Melhor longa-metragem de ficção: “Tropa de elite 2?, de José Padilha

Voto popular – Melhor longa-metragem estrangeiro: “A rede social”, de David Fyncher

Voto popular – Melhor longa-metragem documentário: “Dzi croquetes”, Tatiana Issa e Raphael Alvarez

Voto popular – Melhor longa-metragem nacional: “Tropa de elite 2?, de José Padilha

1 COMENTÁRIO