Um dos pontos negativos que os diretores de fotografia reclamam do digital é a imagem ser demasiado lavada/limpa. Habituados ao grão do filme, esse grão acaba por fazer parte da linguagem.
Na tentativa de minimizar esse desconforto e tentando aproximar o digital da película, a empresa norte americana CineGrain apresentou recentemente uma serie de filtros/clipes com resolução até 4K, que simula o grão de filmes 35mm 16mm super 8mm.
Segundo o site da CineGrain, foram usados scans reais de filmes, tem flash frames, vazamentos de luz, lens flares, Roll Outs, sugeira e arranhões, problemas de registro e outros Film Artifacts.
A biblioteca de grãos de 35mm são os grãos mais finos e sutis, deixando o filme com um excelente aspeto. O 16mm, do aspeto New Wave francês aos filme debaixo de água de Jacques Cousteau’s. O super 8mm é o que mais grão apresenta, perfeito para vídeos de verão com aspeto caseiros.




6 COMENTÁRIOS

  1. Bom pessoal eu (diretor de fotografia) tenho sim desejo sobre os filtros de ruídos e granulados. Porem entendamos uma coisa:
    Isso é cinema, não cabe colocar isso em um evento social ou em um aniversário de 80 anos do tio Hery.
    A tecnologia evolui e com ela os profissionais, porem, o charme sempre será o mesmo.
    O digital ainda está longe de se comparar com o nosso velho, querido e idolatrado Rolo de Filme…

    Hoje uso sim 35mm digital mais nunca deixo de fazer com que se pareça ao máximo com aquele que o criou.

    Grande abraço a todos!

  2. “amigo da onça”

    Não entendo muito, mas entendo algo.

    Primeiro: Grãos não significam que está fazendo cinema, um filme rodado em 70mm não apresenta grãos visíveis e é película. Alugue os mais novos filmes, mesmo gravados em 35mm não apresentam grãos quando assistidos em fullHD, isso por que o material é exposto a uma série de processos para tentar amenizar e reduzir qualquer ruído de imagem.

    Segundo: O tal “cinelook” não se consegue na pós produção. Não é colocando grãos, enterrando os pretos e jogando um preset do Magic Bullets que você conseguirá um visual cinematográfico. Isso é pensamento de videomaker cabaço. Um visual de cinema nasce na fotografia bem trabalhadae na decupagem com ângulos bem escolhidos.

    Essa historia de comparar digital com película é balela. Claro que um filme em película irá proporcionar uma qualidade bem superior. Mas até os filmes em película buscam uma redução de ruídos.

    Concordo que os ruídos dão uma sensação de estar vendo algo mais cru, é bonito. Assim com os “fios de cabelo” e pêlos que colam no rolo e fazem aquele friz na tela do cinema. Mas isso não torna o filme mais filme.

    Acho válido usar isso, se for algo de época, ou se tiver uma justificativa. Jogar ruídos há mais pra ficar arrotando que sua imagem digital parece com película… é ridículo.