O vídeo “Trash The Dress” com Cauê e Larissa foi dirigido e filmado por Alexandre Magno da eng5D.
O Projeto era fazer um filme da história do casal e apresentá-la com a nova linguagem que apareceu com as HDSLRs.
Foi gravado da Av. Paulista em São Paulo.







Cameras: Canon 5D marK II
Lentes:
* Canon 24-105mm
* Canon 27-70mm

Edição: Adobre Premiere Pro CS5

21 COMENTÁRIOS

  1. Imagens em 60p são lindas adoro.
    Mas esse stopmotion forçado ai me incomoda muito.
    As imagens podem estar bonitas, tem cenas bem legais, mas isso pra mim bota todo o trabalho a perder. Não sei se era de propósito, mas não curti não. Me parece falta de planejamento.

    Deixo minha opinião, mas fico curioso pra saber se é de propósito. No mais as cenas estão bonitas Alexandre.

  2. O Proposito era capttar imagens e fazer um video igual ao que fazem com sthill essa do trash , as imagem estao em 30p e nao 60p e muito obrigado , mas é ma ideia que coloquei em pratica.
    Paulo posso estar errado é ensaio pós casamento o trash ou nao,
    vou aceitar sua critica e agradecer por ela muito obrigado.

  3. Realmente em 30p para slow motion não fica bom, nesse caso a 7 D faz em 60p e o resultado é bem melhor, utilizando tbem softwere para esse efeito. o vídeo achei cansativo e meio massante faltou tbem um bom tratamento de cor.
    Mas é isso aí, a prática leva a melhorar.
    Parabéns.

  4. Não gostei da ideia, creio que não passa emoção nenhuma. Algumas cenas como a do ônibus contribuiram para minha crítica. Acho que deixou o video sem nexo e realmente o slow ficou forçado, tirando a naturalidade do filme.
    Mas, ao mesmo tempo cenas como a do início do video, com a rosa no chão eu achei muito boa.
    Mas, enfim, quem sou eu para falar alguma coisa,
    Parabéns pela atitude e continue praticando e buscando melhorar sempre.

    Raquel Brassal

  5. Alexandre,

    Eu vi que estão em 30p. O que comentei é que os slows estão muito forçados. A velocidade deve estar em algo como 50%, o que faz com que pareça Stopmotion, pois você percebe frame by frame, mas sem a velocidade e movimentação existentes na técnica de Stopmotion. Por isso disse que ficou estranho. Mas é minha opinião amigo. O importante é você estar seguindo o que teus clientes gostam e que te trás retorno ai.

    TODO comentário meu no site, vem a contribuir e não criticar. Como falei, gosto de algumas cenas que você fez, da montagem (sequência das cenas), mas esse slow me tira a atençao.

    Grande Abraço, espero ver novas contribuições no site.

  6. Alexandre
    Trash the dress quer dizer lierallmente o vestido no lixo, essa é a idéia e é feito fazendo com que a noiva praticamente destrua o vestido, sujando, rasgando, molhando, o que nao se enquadra no seu video que nada mais é um street wedding. Uma nova moda que está pegando agora no Brasil e que ainda nao tem muita popularidade. Na minha opnião o mestre do Trash the dress no Brasil é o Evandro Rocha e o mestre no Street Wedding o Everton Rosa.
    O que mais gostei em vc é ter aceito as criticas como construtivas, pois somente aceitando criticas é que chegamos a algum lugar, continue assim.

  7. A questão do stop motion seria arrumada ou diminuida habilitando o frame blending no próprio premiere.

    Melhor seria finalizar no after effects, que tem mais opções, como o Pixel motion. Ou usar um plugin específico.

    No fim, se se sabe que vai usar slow, TEM que filmar em 60 fps. Se o output for um BD em 24fps, basta interpretar a filmagem como 24 e se tem um lindo e orgânico slow, sem fuçar em slow. E não esqueça de fazer um cranck no shutter se o objeto filmado se move rápido

  8. Parece dois caipiras no interior de sp, na capital, cenas com onibus achei brega demais, camera lenta não favoreceu em nada o clip ? muito mal produzido e executado, antes de fazer isso prescisa estudar um pouco mais, nem se contara com os video feitos fora do pais, tipo stillmotion.

  9. Não é para tanto, né Guilherme. Me parece que é inerente do estilo “street wedding” parecer forçado (essa deve ser a proposta estética).

    Só não concordo mesmo em “pagar pau” para Stillmotions da vida. Fora a beleza de imagem que a HDSLR confere, a Stillmotion usa o mesmo molde que outras 300 usam: 50mm em f/1.2 + slider + voiceover de discurso + MB Looks. Então eis o paradigma que todos usam hoje.

    E se notar os videos da stillmotion em particular, a correção de cor é fraca. Não tem consistência a paleta de cor e o equilibrio dos brancos é estranho, mesmo levando em conta o “color cast” desejado na imagem.

  10. O Video tem varias coisas que não gostei falta alguma coisa sim, como foi sitado acima pelos colegas, gosto de gente assim de fala tudo sem papas na lingua, A Stillmotion não gostei de varios video deles acho que pelo fato de ter uma equipe grande poderia fazer alguma melhor, as cores parece magic bullet look plug simples red gigant sem nada mais, O Trash The Dress seria sujando o vestido algo do genero isso não tem nada a ver com video, O problema e foram para a paulista sem nenhum roteiro e vamos ver o que sai rsss

  11. Olha Cris Derois vi seus vimeo e não achei grandes coisa, acho stilmotion pode copiar de olhas produtoras pq o equipamento e camera deve ser o mesmo, o vc queria usar lente 400 mm a 1km de distancia, eu se fosse vc se proocupava em dar sua sugetão ou critica ao video citado e não ficar discutindo a opinião do colega que acho que algumas cenas na minha opinião não ficou legal. Antes de criticar olha para espelho pq seus videos estão abaixo do stillmotion no meu ponto de vista, desculpe se falei a verdade, não quero criar polemica

  12. Marcelo, o que eu disse da lente não é sobre a distancia focal, eu estava me referindo ao bokeh da f/1.2. E me parece óbvio que esse modelo que discuti vem do Philip “Bokeh” Bloom, famoso por suas cenas com profundidade de campo brutal sobre um Kessler Crane. Daí o pessoal achou lindo (e é) e foi filmar casamento. Resultado, entre em sites de casamento americanos e veja os vídeos: são todos iguais, é sério.

    E que bom que tem gente que não acha grande coisa meus filmes, é mais um incentivo para melhorar. Porque se depender do que eu escuto de meus clientes, eu não me preocupo sequer de ter que copiar uma Stillmotion, isso é uma liberdade excepcional. (e nem tenho como, não tenho 1/3 do equipamento que eles usam).

  13. Não tem como fazer um filme todo steadycam ou slider, muita gente fica iludido com filmes da stillmotion, que mostra tipo traller que a ver e bonito e esquece que esse tipo de filmagem( reportagem ) não e nada mais que filmar os acontecimentos do eventos, e trasmitir a emoção dos noivos, ja fui varios eventos de amigos que fazem a reportagem um tipo coisa ensenada na qual nunca aconteceu? e horrivel ver video que parece beije a noiva de novo mais uma vez, as coisas tem que ser natural senão vou filmar uma novela que ganho mais….

  14. Lembrei-me da frase de Gláuber Rocha: ‘uma câmera na mão, uma ideia na cabeça…’ Pena que você só tenha a câmera… Qualidade da imagem não é o suficiente. Composição, técnica e linguagem são os diferenciais. O resto é modismo. Infelizmente, os comentários acima, em sua maioria, falam apenas de equipamentos e técnicas. Temos que valorizar a linguagem da fotografia, o enquadramento, a composição, a luz…. Não somente as máquinas.

  15. Esse video pelo que vi não tem tecnica nehuma amigo, tu ta vesgo, não tem linguagem nenhuma, não tem enquadramento pessimo, so besta como vc jão rangel, que não ve rssss

    Se video fosse bom, com certeza iria elogiar, mais contrario o video 1 não tem nada ver com titulo, que seria sujar o vestido como americanos fazem, isso seria street de day mau feito, sem mais