Com a comemoração dos seis anos do lançamento da primeira versão do Lightroom, a Adobe acaba de disponibilizar a versão Beta do Adobe o Lightroom 4.
Dentro das várias novidades destaco a compatibilidade com vídeos, especialmente dedicado a câmeras HDSLR e fazer livros!
DOWNLOAD pela Adobe Lab
“O aplicativo vem com dois novos módulos, um mecanismo de renderização moderníssimo (Process Version 2012), ferramentas inéditas no módulo de revelação e de ajustes locais, e soft proof para printers, entre muitas outras novidades.
Para quem é usuário do programa, só novidades boas (curvas em RGB, canal a canal!); para quem não é, existe a possibilidade de importar arquivos diretamente do Apple Aperture ou do iPhoto, facilitando a migração. ”

Lightroom 4 Beta: Working with DSLR Video:

New Video Editing Capabilities:

Cross Process Effect Using the New Per Channel Curves Adjustments:

Export to PDF Using the New Book Module:

New Graduated Filter Controls:

Metadata Status Has Been Changed Smart Collection:

New Process Version Comparison:


Soft Proof diretamente no Lightroom 4; adeus visita ao Photoshop!
Soft Proof; fácil e resultado preciso.

Se eu tiver que escolher o “feature” MAIS ESPERADO, tem que ser o Soft Proof integrado aos módulos Develop/Print.
Poder visualizar o resultado de sua foto impressa em tela, antes de gastar papel e tinta, é fundamental para que o programa seja chamado de profissional; agora é de gente grande!

O segundo astro da lista é o novo processador interno de revelação, versão 2012. Ao importar Raws ou DNGs, ele é automaticamente usado; ao importar arquivos já processados por outras versões do Lightroom ou do Adobe Camera Raw, podemos fazer o update para a nova versão, de modo quase instantâneo; com o novo processador, as ferramentas do módulo de revelação (painel Basic) são também atualizadas, e a diferença de resultados é significativa.
Dois novos módulos surgem na versão 4; o de geotagging, chamado Mapa, e o de criação/edição de livros de fotografia, chamado Book. Vamos falar um pouco deles a seguir:Mapa no Lightroom; GPS na mão !
MAPA: As fotos podem ser arrastadas e soltas na posição correta no mapa; este pode ser visto de várias formas, e o zoom é bastante poderoso; a facilidade com que podemos acrescentar coordenadas de GPS à fotos que não as possuam é única. Viciante.

Módulo Book: Fotobooks direto para o Blurb!

LIVRO: O módulo permite que se crie um fotobook (ou uma versão em PDF) que pode ser diretamente enviado ao Blurb; entre outras facilidades, o preço final já aparece na página!Email embutido no Lightroom 4

Emails podem ser enviados, com fotos anexadas, diretamente de dentro do Lightroom 4, poupando tempo, trabalho e configurações tediosas. Um ganho de produtividade considerável!

Stack nas coleções: Estava na hora!

O Adobe Lightroom 4 permite agora que se criem Stacks dentro das coleções (antes, era só nos Folders); e as bandeiras brancas, pretas e neutras nesta versão são globais, ou seja, aplica-se uma bandeira em Folders e ela aparece também na mesma foto que esteja dentro de uma coleção. O processo fica mais intuitivo, e bem mais útil!

Compressão DNG com perdas? Um JPEG de luxo!

Assunto polêmico… A Adobe está introduzindo a possibilidade de arquivos Lossy DNG (um Raw, em última instância, com perdas na compressão); o arquivo fica menor, ocupa menos espaço em disco, e pode ser totalmente editável, tanto no Lightroom 4 quando na nova versão do Adobe Camera Raw (ACR). Claro que não existe milagre, e a compressão com perdas, apesar de ser imperceptível ao olho, muda o arquivo. Deve ser exaustivamente testado, pois abre uma nova gama de possibilidades para o formato DNG.

Novas ferramentas no painel Basic; mais precisas.

No Lightroom 4, ao se importar novas imagens ou converter antigas para o novo processamento (PV2012; ver dica lá acima), o painel Basic mostra as novas ferramentas, que além de mais precisas, também são mais intuitivas e com nomes mais tradicionais da indústria gráfica. Não é uma mudança apenas cosmética, as ferramentas se comportam de maneira diferente (melhor, mais qualitativa) em relação às versões anteriores do Lightroom, especialmente na recuperação de altas-luzes e sombras. Todas elas foram atualizadas; o Clarity, por exemplo, ficou muito mais agressivo, e deve ser usado com parcimônia.
Ferramentas novas nos ajustes localizados!

Minha última das dez dicas favoritas é sobre os sliders dos Ajustes localizados; muito mais ricos, com opções necessárias como “Noise” e “Moiré”, entre outras novidades. Aliás, MUITO bem vindas!

Fonte: Clicio.com.br

4 COMENTÁRIOS