Um turista francês foi condenado a um mês de trabalhos forçados na prisão por tentar voar com drone perto do parlamento da Birmânia.

Arthur Desclaux, de 27 anos, foi detido em 7 de fevereiro na capital acusado sob uma lei de importação e exportação que proíbe o uso de “produtos proibidos” trazidos do exterior sem licença.

Birmânia tem fortes restrições aos drones usados no país, especialmente em locais religiosos e governamentais.

O francês admitiu desconhecer essas leis, disse o juiz Sulab Yadanar Oo ao tribunal após a audiência.

“Nós demos a ele uma sentença leve – um mês de prisão com trabalho forçado, quando ele confessou com sinceridade que era culpado”, disse o juiz.
Mas essa não é a primeira vez que estrangeiros voando com drone são presos em Birmânia. Em 2017, jornalistas da Malásia, que gravavam um documentário para uma emissora estatal turca, também foram presos por voar com um drone ao lado do parlamento.
Na ocasião, acreditaram que pagariam apenas uma multa mas não foi isso o que aconteceu. Foram condenados a dois meses de prisão.
Assim, informar-se sobre as leis locais e solicitar as devidas autorizações são providencias básicas que podem evitar a apreensão de equipamentos e/ou “férias forçadas” na prisão.