Montagem de algumas cenas feitas por Khalid Mohtaseb, o mesmo que fez o do terremoto no Haiti.
Ele e alguns amigos, em agosto de 2009 e durante 6 semanas documentaram os arredores de Beirute e do Cairo simplesmente com uma Canon 5D mark II.

Foi um trabalho muito difícil de realizar, pois são locais muito traiçoeiros e perigosos. Foi um dos seus primeiros trabalhos como jornalista e com isso aprendeu bastante. Diz que percebeu o quanto é difícil capturar onde o tempo não está do seu lado. Teve bastantes problemas com o calor no Egito. Quase todo o documentário foi gravado no mês do Ramadão , o que acabou por ser o maior problema. Os moradores estavam em jejum e não queria ser rude e comer e beber na frente deles. Gravar o nascer do sol foi quase impossível, pois nenhum taxista queria se levantar cedo e passar o dia todo em jejum com aquele calor. Mesmo quando conseguiram filmar tiveram de voltar antes do meio dia , pois o guia turístico e o motorista não aguentavam mais.
No Egito é quase impossível filmar sem uma licença(que não tinham) e os habitantes foram muito hostis. Para se misturarem melhor com os moradores não levavam a maior parte do material que tinham. A vantagem de usar uma 5D é que ela é uma maquina fotográfica e os habitantes pensavam que estavam tirando fotos.

Camera: Canon 5D mark II. (ISO a Baixo de 1600)
Lentes Canon: 16-35 2.8, 24-70 2.8, e a 70-200 2.8.
Lentes Nikon: 50mm 1.4 e 85mm 1.8.
Monitor: Marshall 7inch HDMI.
Baterias: 2x Anton Bauer Dionic 90 .
Mattebox: Chrosziel 450-HDVKIT .
Follow Focus: ARRI MFF-1.
4 Filtos: ND .9 Soft Grad, ND 3, ND 6, ND 9, Ultra Polarizer, Black Pro Mist.
Tripé :Sachtler SB6 .
Na Dolly Manfrotto 516.
Monopé: Manfrotto.
Edição e coloração no Final Cut Pro com a ajuda do Magic Bullet.
Exportação do trabalho para Broadcast em Apple Pro Reze para internet em H.264

No vídeo a baixo é uma montagem de algumas cenas que filmaram.

[ratings]

1 COMENTÁRIO