Os vídeos de casamento tem sofrido grandes transformações nos últimos 6 anos. Antigamente não passavam de meras reportagens onde o operador de camera era contratado, muitas das vezes contratado pelo fotografo e so via o casal no dia do casamento, no máximo falava um ” boa tarde, boa noite, parabéns e felicidades” chegava no dia e gravava absolutamente tudo, fazia um resumo de 3 horas e entregava a fita ou o DVD.
Ha uns 6 anos com a chegada das DSLR ao vídeo e com pessoas novas no mercado cheias de ideias e transformações passamos a ter o vídeo cinematográfico e bem curto de 4 a 6 minutos esses videos tem como base a música e o seu tempo está diretamente ligado ao tempo da música, alguns deles, os que mais se destacam, tem por alguns segundos frases do casal ou dos pais. Ha possivelmente 2 anos veio a nova transformação em que ainda poucos trabalham mas que quanto a mim é o que melhor para um vídeo de casamento, o documentário, neste vídeo documentário do casal obriga a produtora a conhecer bem o casal, requer um estudo de dias ou meses e por vezes ate o dia do casamento acaba por ficar em segundo plano pois o vídeo é sobre a união daquelas duas pessoas.
Por esse motivo trago aqui o documentário do Erik Marreiro, neste caso o vídeo de casamento foi feito 70 anos depois de eles se conhecerem no banco de uma praça e nunca mais se separaram. “Essa é uma história real de duas pessoas que colocaram família e amor como prioridade e encontraram na simplicidade o tão buscado caminho da felicidade. Que esse filme seja inspiração para os novos, os velhos e os futuros casais!
Emocionem-se com Dona Alice e Seu Tupan. ”

Cameras: Sony FS700, A7SII e Canon 6D, sendo 60% das cenas filmadas com a FS700, 30% A7SII (praticamente toda a sequência da música “Forever Young”) e apenas 10% com a 6D.
Quase tudo foi filmado com a Canon 50mm 1.2 ( lente preferida), Canon 100mm macro (em alguns takes de super close para ressaltar as rugas). Foram usadas também uma 16-35mm e uma 70-200mm mas para pouquíssimas cenas.
O áudio foi todo captado (tanto o deles quanto o do narrador) com um microfone direcional Sennheiser MKH 416 (tem uma qualidade fantástica) e gravado com um Roland R44.

COMPARTILHAR
Premiado Diretor de Fotografia e filmmaker que vive em Bauru, São Paulo Estudou cinema na New York Film Academy; AIC Academia Internacional de Cinema de São Paulo. Fez Direção de Fotografia de diversos Longas Metragens e Documentários que foram exibidos na TV e participaram em festivais nacionais como Festival de Brasilia, Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival de Gramado, É tudo Verdade e festivais internacionais como: Festival Internacional Fronteiras, Festival de Cinema Los Angeles, Festival Internacional Del Nuevo Cine Latino-Americano Havana/Cuba, Cineteca Nacional do México, Festival FILMAR (Genebra/ Suíça ), Festin em Lisboa/Portugal. Destaque para o filme "Fome" que entrou em cartaz em 2016 em 10 cidades em 7 estados.