Multa pode chegar a 7 milhões de reais.

Um dia de sonho transformado em pesadelo. É assim que um casal de Sorocaba (SP) define a cerimônia de casamento deles, realizada no último fim de semana, depois que a produtora que faria as fotos e vídeos não compareceu ao evento. Na noite desta segunda-feira (19), eles e vários outros casais registraram boletim de ocorrência contra a empresa.
A operadora de máquinas Ketiny de Oliveira e o marido, Carlos, contrataram a equipe de filmagem e fotografia por R$ 3.500 – valor que foi pago antecipadamente -, mas, no dia do casamento, ninguém apareceu, e os convidados precisaram improvisar. “A festa foi filmada com celular de amigos, foram tiradas fotos com celular. Foi o pior dia das nossas vidas, uma tragédia”, lamenta Ketiny.

O tumulto na porta da delegacia começou depois que a advogada que representa a produtora informou sobre a falência por meio das redes sociais. O texto apenas avisa que a empresa não vai entregar os materiais editados até janeiro, nem vai cumprir com os contratos que já foram firmados.
Muitos clientes que já haviam pago pelo serviço se revoltaram, compartilharam a mensagem e seguiram para o plantão policial da Zona Norte da cidade.
Os problemas com a produtora já ocorrem há meses. A assistente administrativo Simone Antunes, por exemplo, diz que deveria ter recebido um álbum com 100 fotos, os arquivos de imagens e quatro DVDs com vídeos do casamento há um ano, mas, até agora, só o que recebeu foram desculpas. “Um dia, o filho dela estava doente, no outro, ela estava fazendo evento em outra cidade. Parentes, ela ‘matou’ todos. Ela sempre tinha que viajar porque um parente dela morreu, e aí ela não atendia”, ironiza a cliente.
Para tentar alertar outros possíveis clientes e reunir pessoas que também foram lesadas pela prdutora, ela criou uma comunidade na internet, e se surpreendeu com o número de adesões. Em pouco tempo, reuniu diversos reclamantes. Todos relatavam a mesma história: que a produtora nunca deu nota fiscal que comprovasse a prestação de serviços, apenas um recibo sem assinatura.

A “Foco e Imagem” funcionava na mesma casa onde os sócios moravam, no no bairro Santa Esmeralda, também na Zona Norte. Na lixeira da empresa, alguns clientes encontraram vídeos e fotos de festas de 15 anos, casamentos e aniversários, que teriam sido descartados pela produtora.
De acordo com o Procon, é preciso cautela para evitar esse tipo de problema. “O ideal é que o consumidor busque referências com colegas, com outras pessoas, ou, ao comparecer ao estabelecimento, que o próprio estabelecimento ofereça referências para que o consumidor tenha um mínimo de garantia e tenha contato com a qualidade do serviço”, orienta o chefe da Divisão de Proteção ao Consumidor de Sorocaba, José Antônio de Oliveira Junior.
Aqueles que forem lesados por descumprimento de contrato devem procurar o Procon. A multa para as empresas varia de R$ 650 a R$ 7 milhões, dependendo do porte econômico da empresa e da gravidade da infração.
A TV TEM procurou a advogada da produtora, Maria Ligia De Paola Ueno, que informou que nem ela, nem os donos da empresa vão se manifestar sobre o assunto.

Fonte: Globo

7 COMENTÁRIOS

  1. Tudo por que e preciso uma associação de classe forte. E o mercado qualquer abre prod de f Oto vídeo e a informalidade muito grande hoje o cidadão compra maq no chinês e vira fotografo e enem imposto paga e o cliente também tem culpa não e preciso ter do deste cliente eles sempre quer o mais barato. Exija o CNPJ pois qualquer um com maq se acha profissional. Estou no mercado há 28 anos com produtora e nunca vi uma pouca vergonha e da falta de caráter profissional destes empresários.