[useful_banner_manager banners=2 count=1]
A história de eu dirigir um clipe do BOSS IN DRAMA já era meio antiga, inclusive já quase fizemos o clipe dessa mesma música tempos atrás e que não aconteceu porque a Christel, que é australiana, não pode vir ao brasil gravar devido ao visto.

Depois do BOSS IN DRAMA lançar seu primeiro clipe, da primeira música de trabalho do disco PURE GOLD a gravadora me ligou e o papo de se fazer Disco Karma voltou a tona.

O péricles, que é o BOSS, vem do mundo disco, fashion, noite, balada e tudo isso remete ao que ele veste e divulga, glitter, brilhos, luzes, luxo e etc.
Quando tivemos as primeiras idéias do clipe do Disco Karma, tempos atrás, eram essas as referências. Mas desta vez eu queria algo mais sóbrio, mais simples, o grande clichê do menos é mais (que é onde eu acho que temos as melhores coisas na arte).

A conversa sobre o conceito do clipe e sobre a idéia foi meio demorada, tive que convencer o artista de que precisávamos sair do óbvio, na verdade do que as pessoas já esperavam que ele fizesse, da imagem que todos tinham dele, inclusive a própria Christel que já estava no brasil também tinha esta mesma visão e me ajudou a deixar o Péricles mais calmo e confiante.

Então tivemos a idéia dos dançarinos, de pessoas dançando sozinhas, sentindo a música da forma que gostaria de sentir e em um ambiente de um apartamento abandonado. A locação foi em um prédio semi abandonado do lado da galeria do rock, no centro, onde acontece a festa VoodoHop. Quando fui visitar a locação eu tinha ido por causa da indicação da Mari Betoni que trabalha comigo em alguns projetos, ela havia me dito do lugar e da balada e então obviamente fomos ver a locação da balada em si. Quando chegamos lá a pessoa responsável pelo lugar me contou que havia um andar embaixo que eles usavam para uma espécie de bazar e que era tudo original do antigo imóvel, sem as instalações da festa. A partir dai comecei a construir os momentos de cada um na música, dos dançarinos,
da Christel e do próprio Péricles.

Quanto a fotografia quando fiz a visita percebi que havia muita luz natural entrando no local, eu gosto muito de luz natural e obviamente ia me ajudara manter o clima sóbrio do filme, quase não usei luz, e também nem tinha muito tempo pra testes de luz.

Acho que conseguimos fazer um clipe bonito, light, diferente do que as pessoas esperavam do BOSS IN DRAMA e que acabou passando o que a música
fala, sobre o sentimento que se passa quando vemos uma pessoa dançando.

Disco Karma Video
Okent Films

Direção: Rafael Kent
Assistente de Direção: Helen Ramos

Produção: Tânia Assumpção
Direção de Arte: Helen Ramos e Mari Betoni

Direção de Fotografia: Rafael Kent
Assistente de Fotografia: Fabrício Vianna

Câmeras: Pedro Margherito e Rafael Kent
Assistente de Câmera: Fabrício Vianna

Edição e Finalização: Rafael Kent

Cabelo e Maquiagem: Samara Rolim
Figurino: Denise Lopes

Dançarinos: Adriano Vilas Boas, Bruno Galhardo, Jéssica Guedes, Karen Bassi e Lucas Migliorini.

Câmeras: 5D / 7D
Lentes: 17-40 f4 / 70-200 f2.8
Travelling / Stedy Merlin
Edição: Final Cut / Magic Bullet

1 COMENTÁRIO