Descoberto novo material supercondutor que pode levar a computadores, câmeras e outros eletrônicos serem muito mais rápidos que os atuais

Imagine se o seu computador pudesse funcionar com eletricidade que flui para sempre sem superaquecimento. Isso não é mágica: é o futuro potencial de um fenômeno real chamado supercondutividade, que hoje sustenta tudo, desde pesquisas magnéticas de ponta até ressonâncias magnéticas.

Pesquisadores da Delft University of Technology descobriram um novo supercondutor que conduz eletricidade em apenas uma direção. Uma possível aplicação dessa tecnologia nos futuros computadores,  os tornarão mais rápidos e eficientes.

A resistência de elementos de circuitos individuais é um freio importante no desenvolvimento de chips de computador. Todas as linhas de junção e transistores no chip têm uma condutividade limitada, o que leva à dissipação de calor e diminui a taxa de clock máxima possível.

De acordo com o Professor Mazhar Ali, os computadores que usam supercondutores podem chegar a velocidades na ordem dos terahertz. Esta tecnologia ainda vai demorar a chegar aos computadores do mercado de consumo, mas deve chegar mais cedo aos data centers.

A dificuldade de obter materiais que são ao mesmo tempo supercondutores e semicondutores, deve-se ao facto de não oferecerem praticamente qualquer resistência à passagem da corrente elétrica, o que impossibilita o direcionamento ou a paragem do fluxo da energia. A equipa de Ali conseguiu-o, ensanduichando um material quântico entre duas camadas de materiais semicondutores.

Contudo, este novo semicondutor só foi testado com sucesso a muito baixas temperaturas, o que torna qualquer sistema informático que use esta tecnologia, muito sensível a temperaturas mais altas. A equipa de cientistas, quer saber se este material funciona a temperaturas acima dos 77 graus kelvin, porque é a partir desta temperatura que pode ser usado Azoto líquido para refrigerar estes supercondutores. O passo seguinte, será perceber como se podem produzir semicondutores suficientes para se conseguir construir um circuito integrado.

Artigos recentes