Ecad Fecha Acordo Com o YouTube. Resta aos Artistas Fazer Valer o Que é Seu

spot_imgspot_img

O Ecad fechou um acordo com o YouTube segundo o qual o site deve pagar os direitos autorais de todas as músicas disponibilizadas por meio dele. Resta aos artistas fazer valer o que é seu.

Existe um segredo bem guardado que grande parte dos músicos brasileiros ainda não descobriu. Em setembro de 2010, o Ecad fechou um acordo com o YouTube e o Google para recolher direitos autorais. Para quem vive em Júpiter e não sabe do que estou falando, o Ecad é a associação responsável por cobrar em nome de todos os músicos brasileiros os direitos autorais pela “execução pública”. Essa atribuição vem da lei. Quando a música toca no rádio, na televisão, na academia de ginástica, no hotel ou no consultório médico isso é “execução pública”. Todos têm de pagar mensalmente ao Ecad, que por sua vez deve distribuir esse valor aos músicos. O conceito de “músicos” é amplo: inclui intérpretes, letristas, arranjadores, compositores, produtores e assim por diante. Em outras palavras, se você tocou triângulo em uma música de forró está incluído no conceito e deve ser remunerado.

Ocorre que hoje em dia o Ecad entende que a “execução pública” inclui também a internet. Muita gente discorda disso, já que a maioria dos vídeos do YouTube é consumida dentro de casa e não em um espaço público. Mas o Ecad conseguiu convencer os advogados do Google do contrário: de que o site deveria pagar os direitos autorais de todas as músicas disponibilizadas por meio dele.

Resultado: a partir de novembro de 2010 um bom dinheiro adicional passou a entrar nos cofres do Ecad em nome de toda e qualquer pessoa que posta um vídeo musical no YouTube. A notícia do acordo (divulgada de forma bastante discreta) diz que ele abrange “todo o repertório musical que estiver disponível na plataforma do YouTube” (veja em bit.ly/f1FFbw). Como se isso não bastasse, o Google comprometeu-se a pagar valores retroativos desde 2001! Ou seja, uma dinheirama.

Com isso, o Google faz a sua parte: paga aos músicos os valores devidos. A questão é se o Ecad vai pagar todos os que têm direito a receber. Na prática, se você colocou uma música que tem qualquer participação sua no YouTube, tem direito a receber – mesmo que não seja associado ao Ecad ou às associações que o constituem. Afinal, sua parte já está sendo cobrada por você.

HIT DE VERÃO

Como muita gente sabe, a maioria dos novos sucessos musicais do Brasil vem da internet, especialmente do YouTube. Por exemplo, o grande hit do verão foi a divertida música “Minha mulher não deixa não” (bit.ly/dYpGxs), que acabou regravada por inúmeros artistas, dos Aviões do Forró à Banda Djavú. Em contagem rápida, gerou mais de 40 milhões de visualizações. É um número maior do que a audiência de muitas rádios ou TVs. Será que todos receberam a sua parte? E o compositor da música?

A pergunta vale para todo mundo. Para o MC Papo, de Belo Horizonte, um dos meus artistas favoritos, autor do hit “Piriguete”, com 11 milhões de visualizações (http://bit.ly/4Fz1q). Para os funkeiros de todo o Brasil que estão no YouTube, como Mr. Catra, do Rio, que só com a música “Adultério” (bit.ly/2PRqvR) alcançou 7 milhões de visualizações. Para as bandas e os artistas novos espalhados pelo país, que tocam do indie rock ao maracatu. Para não mencionar também DJs, autores de remixes ou trilhas sonoras. Quem tiver músicas no YouTube deve receber. Afinal, são valores que já estão sendo cobrados e pagos.

Acredito que existe aqui uma oportunidade muito importante. Se o sistema de distribuição funcionar, remunerando dos grandes aos pequenos, isso fortalecerá uma rede criativa extraordinária que se espalha por todo o Brasil. Resta a artistas, profissionais e amadores união para fazer valer o que é seu.

 

Fonte: Trip

Artigos recentes

Video thumbnail
Tutorial: Adicionando 35 Idiomas e Removendo Várias Restrições em Câmeras Sony Alpha e FX
13:28
Video thumbnail
Lente Full Frame Viltrox 20mm F2.8 por apenas R$692
09:35
Video thumbnail
Excelente LED COB de estudio/ portátil com características únicas: IINKEE GC30 Bi-Color
13:52
Video thumbnail
Autofoco para qualquer lente ou câmera + Follow Focus sem fio com excelente preço: LIVE AIR 3 SMART
13:09
Video thumbnail
Novo Hollyland LARK M2 - Qualidade de audio para câmeras e celulares
13:10
Video thumbnail
Por R$50, melhor alternativa a AirTag :Problemas e soluções em mais de 7 meses de uso
12:17
Video thumbnail
Maior Shopping de cameras lentes e eletrônicos usados do mundo - Piso 2 - Guangzhou - China
11:54
Video thumbnail
Review do microfone lapela duplo com 2 canais 7Artisans DMic-S O mais completo abaixo de R$600
12:59
Video thumbnail
Vem ai + uma taxa. Soluções que temos no momento para compras internacionais
13:25
Video thumbnail
Ulanzi LT028 Potente e barato , excelente como luz principal e custa menos de R$900 com impostos
08:50
Video thumbnail
Preparando o review do Led @ulanzi bicolor com bateria LT028
01:00
Video thumbnail
Comparação de Desempenho de EDITORES de VIDEO: Macbook Pro M1 Pro vs. Notebook Avell C62 MOB
14:04
Video thumbnail
Gilvaz MOZA Aircross3 e colete DigitalFoto
00:09
Video thumbnail
Review da melhor solução Tudo Em Um para lives na vertical para Instagram, Tiktok e outros
18:25
Video thumbnail
Passado Presente e Futuro das Taxas de Importação- Atualização Agosto e Setembro
12:45
Video thumbnail
Novidades da YC Onion, Hollyland, Colbor, Godox e especial melhores cadeiras gamer e escritório
29:57
Video thumbnail
Review COLBOR CL220: LED COB com excelente qualidade e preço. Comparativo com Amaran 200d
12:49
Video thumbnail
Preço de monitor comum tem no SHIMBOL ZO600M: Monitor Receptor Transmissor Gravador TelePrompter
17:20
Video thumbnail
Review do slider motorizado YC Onion Hotdog 3.0
12:13
Video thumbnail
Melhor Led COB de 60W : Inkee Gold Crow
12:56

5 COMMENTS

    • Acredito que valha a pena encontrarmos não uma forma de receber pelo direitos cobrados pelo ECAD junto ao site e youtube, e sim encontrarmos um jeito de extinguir esse tal de “Escritório Central de Arrecadação” que diz fazer valer os direitos autorais dos artistas e não repassam nada aos mesmos se eles por sua vez não fizerem parte de uma associação filiada ao ECAD. Que diga-se passagem, antes de chegar na mão do artista, passa pela mão de inumeras outras diminuido o valor que foi cobrado inicialmente.
      Essa instituição o useja lá o que for, age em benefício próprio apenas, na minha humilde opinião.

  1. Olá! muito interessante esta sua informação. Não entendo muito de leis, mas penso que o ECAD não tem o direito de recber pelo autor, em nenhuma hipotese, a não ser que o requerente tenha ajuizado acões através do ECAD, aí sim teria direitos a honorários legais sobre o montante indenizatório. Ao ECAD cabe apenas a fiscalização e multa sobre as empresas que não cumprirem a determinação, em benefício dos associados ou não. Não sei se me fiz entender, mas é a minha opinião..