Assim como a TV a Cabo, as salas de cinema tem se segurado graças à proteção dos grandes estúdios que lhes garante exclusividade por uns meses.

No entanto, devido à crise do novo coronavírus, as salas de cinema foram impedidas de abrir, fazendo com que várias estreias fossem transferidas para 2021. Só que esse adiamento não foi possível para um filme, o “Trolls World Tour” da NBC Universal , que já tinha gasto toda a verba de marketing para a promoção do filme. A  solução foi arriscar nas plataformas digitais e vender o filme por US$ 19,99 .

Dois dias depois da estreia, no final de semana da Páscoa, a NBC Universal afirmou que “Trolls 2” havia registrado um recorde impressionante e três semanas depois da estreia revelaram que o valor chegou a US $100 milhões só nos Estados Unidos.

Uma das coisas que ajuda os estúdios a olharem mais para o streaming VOD é que quando um filme é lançado o valor da entrada é dividido 50% para a sala de cinema e 50% para o estúdio cinematográfico, enquanto no streaming a plataforma digital fica com 20% e o estúdio cinematográfico com 80%. Devido a este enorme êxito de “Trolls World Tour” a NBC Universal já falou que nos próximos lançamentos, com ou sem pandemia, eles não querem saber de exclusividade para salas de cinema. Além disso os outros estúdios cinematográficos como Sony 20th Century Fox, Warner Brother, Disney entre outros também avisaram que não querem ficar atrelados a salas de cinema.

Entretanto a NBC Universal anunciou que a comédia “Pete Davidson, The King of Staten Island”, ignorará os cinemas devido ao clima do COVID-19 e entrará em casa no dia 12 de junho ao invés de adiar sua estreia no cinema. A Disney transformou seu próximo filme Artemis Fowl em um exclusivo Disney Plus , e a Warner Bros. mudou o Scoob para um lançamento digital , com planos de trazê-lo para seu novo serviço de streaming, HBO Max